Scientist in the Lab

Estudo do efeito de compostos paladaciclos sobre o parasita Schistosoma mansoni e avaliação de seu potencial uso no combate à esquistossomose

A esquistossomose é uma doença parasitária negligenciada causada pelo trematodo S. mansoni que acomete 200 milhões de indivíduos em 76 países. O parasita possui um complexo ciclo biológico, com seis estágios distintos de desenvolvimento e dois hospedeiros, um intermediário (molusco) e um definitivo (homem).

O tratamento da esquistossomose é realizado pela administração oral de praziquantel que possui baixa toxicidade, é muito eficiente na eliminação de vermes adultos, existindo, porém, algumas cepas do parasita resistentes a esse medicamento. Essa resistência é favorecida pelo tratamento em massa rotineiramente realizado em regiões com alta endemicidade. Nesse contexto a busca por novas alternativas terapêuticas é importante e necessária.

      Já foi demonstrado que os complexos paladaciclos DPPE 1.1 e DPPE 1.2 possuem atividade leishmanicida; baixa toxicidade e inibem a atividade de cisteína-proteinases, especificamente a catepsina B de Leishmania spp. A catepsina B constitui um fator de patogenicidade do S. mansoni, pois é responsável pela maior parte da hidrólise da hemoglobina, a principal fonte de aminoácidos do parasita, tendo-se demonstrado que a inibição dessa enzima causa retardo no desenvolvimento e limitação da viabilidade desse helminto. Dentro desse enfoque, acredita-se que os compostos paladaciclos possuem potencial atividade esquistossomicida.

      Neste contexto, o objetivo dessa proposta é estudar os possíveis efeitos dos compostos paladaciclos sobre os estágios de vermes adultos e esquistossômulos do S. mansoni. A expectativa é que, assim como observado em Leishmania (Leishmania) amazonensis, a exposição do S. mansoni a esses complexos paladaciclos resulte no comprometimento da viabilidade do parasita. Isso permitirá explorar a utilização do DPPE 1.1 e DPPE 1.2 como uma nova abordagem terapêutica no combate à esquistossomose e como ferramenta auxiliar a elucidação do papel da catepsina B no desenvolvimento do parasita.

Colaboradora: Profa. Dra. Clara Lúcia Barbiéri Mestriner.