Estudo das vias de transdução de sinal em Schistosoma mansoni e sua relevancia na interação parasita-hospedeiro (Schisto-sig)

Auxílio Jovem Pesquisador em Centro Emergente (vigência: 2013-2018)
Financiamento FAPESP

 A esquistossomose é um sério problema de saúde pública no Brasil e nos países em desenvolvimento. É causada pelo parasita Schistosoma mansoni que possui um ciclo de vida complexo envolvendo um hospedeiro intermediário (molusco) e um definitivo (homem).

              A interação entre o parasita e seus hospedeiros tem sido constante alvo de estudo, destacando-se os elementos de sinalização como fatores chave para o entendimento da interação parasita-hospedeiro. Neste contexto, já está descrito o efeito de TNF-α humano sobre o desenvolvimento e a fisiologia do parasita.  A descrição do gene homólogo do receptor de TNF-α em S. mansoni (SmTNFR) e a identificação e caracterização de genes homólogos da sua possível via de sinalização, tem sido alvo de investigação da coordenadora do projeto ao  longo de sua formação. 

           Esta proposta visa estender o estudo do TNF-α humano no parasita, observando:


  • seu efeito sobre o transcriptoma, a taxa de atividade mitótica e morfologia dos vermes.


        O efeito do TNF-α humano sobre o parasita sugere sua interação com o SmTNFR, porém não se descarta a hipótese da existência de um ligante adicional, do próprio parasita. Assim, pretende-se:


  • identificar um potencial ligante endógeno e continuar o estudo da sinalização do TNF no parasita através da

  • caracterização das proteínas TRAFs (TNF Receptor Associated Factors) e suas interações com outras proteínas sinalizadoras.

  • Por fim avaliaremos a imunogenicidade do receptor em seus hospedeiros definitivos (em soros de hamsters e pacientes infectados) a fim de verificar seu potencial como antígeno sorológico para o diagnóstico da esquistossomose.

logo do projeto.jpg